sexta-feira, 24 de julho de 2009

História: 10 anos do Grande Prêmio da Áustria de 1999


Com Michael Schumacher definitvamente de fora da contenda pelo título após o alemão quebrar a perna durante o Grande Prêmio da Inglaterra, poucos duvidavam de que a McLaren levasse o título daquele ano, não importando que Eddie Irvine, eterno segundo piloto da Ferrari, estivesse com os mesmos números de pontos de Schumacher. Inclusive, Ron Dennis foi um dos detratores de Irvine.

O circuito de Zeltweg não tinha mais o brilho do antigo traçado, mas ainda tinha características próprias, que eram as fortes freadas e uma média alta de velocidade (nada em comparação aos 256 km/h de média do pole Piquet em 1987). A McLaren dominou todos os treinos e marcou uma dobradinha com Hakkinen à frente de Coulthard. Com todas as atenções ficando para si, Irvine provou alguma força e ficou logo atrás dos dominantes carros prateados. O novo piloto da Ferrari, Mika Salo, estava longe de Irvine, demonstrando a política da Ferrari com relação a seus pilotos. Um tinha tudo, o outro, as sobras.

Grid:
1) Hakkinen (McLaren) - 1:10.954
2) Coulthard (McLaren) - 1:11.153
3) Irvine (Ferrari) - 1:11.973
4) Frentzen (Jordan) - 1:12.266
5) Barrichello (Stewart) - 1:12.342
6) Herbert (Stewart) - 1:12.488
7) Salo (Ferrari) - 1:12.514
8) R.Schumacher (Williams) - 1:12.515
9) Villeneuve (BAR) - 1:12.833
10) Wurz (Benetton) - 1:12.850

O dia 25 de julho de 1999 estava nublado na pequena cidade de Spielberg, mas não havia perspectiva de chuva. David Coulthard tinha sido preterido dentro da McLaren no ano anterior e como Hakkinen não fazia uma temporada brilhante em 1999, o escocês sentiu que podia brigar com o companheiro de equipe pelo título, apesar da McLaren claramente ainda gostar mais do então campeão Hakkinen. Não houve grandes problemas na largada, com Hakkinen mantendo a ponta, apesar da pressão de Coulthard. Na curva 2, Coulthard colocou por dentro de Hakkinen de forma surpreendente, mas Mika fica na sua linha. Então o inacreditável aconteceu. Os dois pilotos da McLaren, com o melhor carro disparado no pelotão, ainda na primeira volta, se tocam e o líder do Mundial, Mika Hakkinen, roda na frente do pelotão, escapando milagrosamente de levar um toque, mas ficando em último ao final da primeira volta.

Apesar das caras feias nos boxes da McLaren, Coulthard ainda se mantinha em primeiro, com Barrichello se aproveitando da confusão para subir para segundo, seguido por Irvine, Frentzen e Salo. Tentando capitalizar a besteira que havia feito, Coulthard abria, em média, 1s por volta em cima de Barrichello, que mantinha uma distância segura para Irvine. O irlandês fazia uma prova discreta e poucos podiam imaginar que ele pudesse brigar por algo nessa corrida. Lá atrás, Hakkinen fazia várias ultrapassagens e tentava diminuir o prejuízo, mas o finlandês sabia que sua corrida praticamente havia acabado. Enquanto o pesadelo de Coulthard e da McLaren começava...

O escocês começa a perder tempo com retardatários e após um ritmo alucinante no começo, Coulthard estaciona sua liderança nos 13s em cima de Barrichello. Para desespero da McLaren, a diferença de Coulthard diminuía volta a volta, com Rubinho se aproximando da McLaren, trazendo Irvine, 3s atrás. Quando Coulthard e Barrichello param, Ross Brawn lembra a Irvine que ele tinha que imitar Schumacher e o irlandês responde com uma série espetacular de voltas rápidas e quando o ferrarista faz sua parada cinco voltas depois de Coulthard, Irvine liderava a corrida com 2s de vantagem em cima do piloto da McLaren!

Hakkinen continuava sua espetacular corrida de recuperação e após a primeira rodada de paradas, o finlandês estava em quarto lugar, pressionando Barrichello, com o brasileiro não repetindo o mesmo ritmo de antes da parada. O piloto da Stewart seria facilmente ultrapassado e acabaria abandonando voltas mais tarde, mas Hakkinen não teria chances de alcançar a vitória. A vitória seria decididade entre Irvine e Coulthard

O pífio desempenho de Coulthard faz com que o piloto da McLaren tentasse a liderança de qualquer maneira e a segunda rodada de paradas era esperada com ansiedade. Salo tem sua parada antecipada e fica algum tempo à frente de Coulthard, atrapalhando o escocês, mas Irvine tinha problemas nos freios e sua vantagem caí de 4 para 3s em poucas voltas. Quandos os dois britânicos completaram sua paradas, Coulthard rapidamente acabou com a desvantagem de 2s que tinha para Irvine e faltando três voltas para o fim ele colou na traseira da Ferrari. Pela forma que havia chegado em Irvine, todos pensavam que Coulthard ultrapassaria o irlandês, mas Eddie permaneceu na frente e acabaria vencendo pela segunda vez na temporada. Foi um duro golpe em cima da McLaren e Irvine provava que tinha condições de substituir Michael Schumacher a altura na luta da Ferrari para sair do seu jejum que completava 20 anos.

Chegada:
1) Irvine
2) Coulthard
3) Hakkinen
4) Frentzen
5) Wurz
6) Diniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário