sábado, 4 de julho de 2015

Na hora H

Um grande piloto consegue extrair o máximo do seu carro, até mesmo além dos limites (não da pista), nos momentos decisivos do final de semana. Hamilton vinha sendo superado por Nico Rosberg em praticamente todos os treinos desse final de semana em Silverstone, mas correndo em casa, o inglês da Mercedes deu a resposta ao rival no momento em que importava, conseguindo a sua 45º pole na carreira, se igualando a Vettel como o terceiro no ranking histórico da F1. 

Ao contrário das probabilidades, a chuva não deu as caras em Silverstone e a classificação se deu com tempo bom e pista seca. Porém, tão traiçoeiro como a chuva, estava a decisão dos comissários da corrida em punir pilotos que passassem dos limites de pista, particularmente na curva 9. Vários pilotos tiveram suas voltas anuladas ao passar as quatro rodas além desse limite na curva Copse, mas no final, o resultado não mudou muito do que foi visto no final de semana. O Q1 viu McLaren e Manor ficando pelo caminho, mas se serve de consolo para Alonso e Button, pelo menos eles andaram muito próximos do pelotão intermediário numa pista onde as características do McLaren-Honda não são muito favoráveis. Quem sobrou da turma do pelotão intermediário foi Felipe Nasr, sofrendo com a falta de desenvolvimento da Sauber, mas o pior foi ter sido superado por Marcus Ericsson, piloto sueco não muito conceituado dentro da F1, mesmo em sua segunda temporada.

O Q2 mostrou uma Lotus, mesmo com motor Mercedes, bem desequilibrada e com Maldonado tirando a paciência do seu engenheiro ao passar tanto dos limites da pista. Verstappen vinha andando bem nos treinos livres, mas o jovem holandês acabou superado novamente por Carlos Sainz, que foi ao Q3, enquanto Sérgio Pérez ficou pelo caminho com a nova versão da Force India, além de ter ficado bem atrás de um motivado Nico Hulkenberg. No Q3, a briga maior ficou pela apertada disputa entre os dois pilotos da Mercedes. Rosberg vinha na frente de Hamilton na maioria dos treinos, mas já na primeira tentativa, Lewis mostrou a reserva técnica que tem em suas habilidosas mãos e superou o companheiro de equipe por um décimo. Na segunda tentativa, nenhum dos carros prateados melhorou o seu tempo e Hamilton pôde comemorar mais uma pole. Um segundo atrás da F-Mercedes, a Williams sobrepujou a Ferrari e dominou a segunda fila, com Felipe Massa sendo um dos poucos a melhorar em sua segunda volta rápida e superou o altamente cotado Valtteri Bottas. Grande resultado para o brasileiro! A Ferrari ficou pelo caminho nesse meio de temporada e se antes tentava se aproximar da Mercedes, agora vê a Williams no seu cangote. Até mesmo na frente. Para diminuir o choro da Red Bull, ambos os carros passaram ao Q3, mas chama a atenção o fato de Kvyat estar superando com alguma constância Ricciardo. O australiano já está provando do remédio que deu em Vettel ano passado?

Numa disputa apertada como vem sendo essa dentro da Mercedes, esse algo a mais de Hamilton, principalmente na hora H, vem fazendo a diferença e o inglês terá a vantagem de largar na frente amanhã, mas não devemos esquecer que Rosberg vem de três vitórias nas últimas quatro corridas, sendo que na última, venceu na exata situação desse final de semana na Inglaterra, casa de Hamilton e com certeza Lewis fará de tudo para não ser derrotado em seu quintal. Uma disputa apertada e emocionante se aproxima amanhã!  

3 comentários:

  1. Não seria a 46° pole de Hamilton n?!

    ResponderExcluir
  2. Não seria a 46° pole de Hamilton n?!

    ResponderExcluir
  3. Você tem razão, fui traído pela transmissão do SporTV!

    ResponderExcluir